segunda-feira, 1 de setembro de 2008

OPÇÃO


( ) De repente a fagulha se acende
quando você está no meio da ponte.
A opção é voltar para trás.
Atravessar um rio de águas turvas
não se faz em um único instante.
E a qualquer hora a bomba
inclusa em seu coração se explode.

( ) De repente a fagulha se acende
quando você está no meio da ponte.
A opção é se jogar na corrente.
Atravessar um rio de águas caudalosas,
ainda que claras, não é coisa assim tão distante.
Cuidado: a vida é pura dinamite.

( ) De repente a fagulha se acende
quando você está no meio da ponte.
A opção é seguir adiante.
Atravesse o rio em disparate.
A correnteza pode te levar,
se a dinamite se explode.

6 comentários:

Paulo D'Auria disse...

Certíssima! A vida é pura dinamite! A poesia também!

Beijos!

Estrela disse...

Já me deparei com fagulhas que se acendem (ou são acendidas??) em tantos outros lugares.
Já estive em pontes e, amedontrada, congelei. Já corri das fagulhas. Já fugi para as fagulhas.
A ponte, sim, a ponte é que é determinante.
Obrigado pela visita!
Beijo.

Biana França disse...

Sofia, que é isso?
Poesia pura.
Poesia pra quê?
Para fazer gente como eu ler, viajar e se emocionar!
Bjus.
Vou te linkar, ok?

Robério Carneiro disse...

E que façam BUM, e que queimem a ponte, e que o rio esteja bem bravo e turvo...
Não podemos é nos abater e desistir, NUNCA!
Vamo que Vamo....
Bjus e muita luz!

Carol D´Alessandro disse...

Ou isso. A vida é cheia de escolhas. Podemos seguir, voltar ou se jogar, o bom é saber que sempre temos um futuro pela frente, que explode!
Beijos

Jeff disse...

GOsto muito das suas letras.
Sucesso. Sempre.