terça-feira, 17 de junho de 2008

CONJUNÇÃO



No meio das pernas
o sexo.
No meio dos braços
o plexo.
Te abraço.
Te enlaço.
Te abarco.
Te recebo.
Neste entrelugar de conjugações.

Se você cabe dentro de mim
sem ou com fusão
não cabe a ninguém julgar
tal conjunção.

Somos conjunto confabuloso.
... (...) ... (...) ...
... (...) ... (...) ...
A figura que uilizei nesta poesia é um Conjunto de Mandelbrot.
Benoit Mandelbrot foi um matemático que descobriu
a geometria fractal na década de 70.
Fractais são formas extremamente complexas
tanto nos detalhes quanto no conjunto.
Informações e figura tiradas da página:

3 comentários:

Welington Gonzaga disse...

Olá, gostei das poesias. Sou amigo da sua irmã Izabella e ela me indicou o seu blog. Depois vou divulgar para meus amigos também. Um grande abraço e parabéns pelo trabalho. Sempre que puder, voltarei aqui.

Robério Carneiro disse...

Vamo que Vamo, que o trem ta danado de bão! hehe
É poetisa, agora falta o livro de poesias....KD?

Bjus e muita luz

Rennan Mafra disse...

Soft!
o universo dos fractais na matemática da costura das palavras...
Sem palavras (só numerais).
Beijos,
Rennan.