sexta-feira, 6 de junho de 2008

Dois e Dois são Quatro

Como dois e dois são quatro
sei que a vida vale a pena
embora o pão seja caro
e a liberdade pequena
.......
Como teus olhos são claros
e a tua pele, morena
.......
como é azul o oceano
e a lagoa, serena
.......
como um tempo de alegria
por trás do terror me acena
.......
e a noite carrega o dia
no seu colo de açucena.......
- sei que dois e dois são quatro
sei que a vida vale a pena
.......
mesmo que o pão seja caro
e a liberdade pequena.
Ferreira Gullar

Esta poesia de Ferreira Gullar me lembra o famoso verso de Fernando Pessoa: tudo vale a pena, quando a alma não é pequena. E me faz querer seguir em frente. Sempre.

Poesia pra quê?
Para nos dar um impulso e nos fazer seguir adiante.

4 comentários:

laisa bragança disse...

Sofia,

tive o privilégio de ler varias de suas poesias...são lindas, delicadas, verdadeiras. Parabéns! Aproveito o espaço para declarar minha admiração pelo seu trabalho. E, continue sempre: o mundo precisa de poesia...
Um grande beijo querida!
Laisa Bragança - Paris, França.

Sofia Fada disse...

Oi Lalá! Obrigada pelo comentário, o primeiro do blog! E volte sempre por aqui.
Beijos
Sofia

H Milen disse...

Olá, Sofia.
Em algum lugar eu li que poesia é acima de tudo resistência. Eu não sei se ela deixa as coisas mais fáceis -- só sei que é impossível seguir sem ela...
Avante!

Sofia Fada disse...

É isso aí, Milen, vamos adiante!
bjs