quinta-feira, 5 de junho de 2008

Pra quê poesia?

Sofia, pra quê poesia?
As crianças já estão dormindo.
Seu salário já está na conta.
Todas as coisas estão no seu devido lugar.
Sofia, pra quê poesia?
Sua saúde vai bem.
Sua carreira vai de vento em polpa.
Em seu armário roupa já não cabe mais.
Poesia pra quê?
Se a sua imagem no espelho lhe convém.
Se você não é todo mundo, nem tampouco um zé ninguém.
Se todas as questões de aritmética, filosofia, física, história e economia você já respondeu com maestria. E até ganhou um dez.
Poesia pra quê? Pra quê poesia?


... (...) ... (...) ... (...) ...

Poesia pra fazer voar a pluma
Poesia para abrilhantar um dia de chuva
Poesia para dar rubor às faces
Poesia para endiabrar embolorados enlaces
Poesia para saciar a fome
Poesia para renomear os nomes
Poesia para tirar as coisas do seu lugar
Poesia para cego voltar a enxergar

... (...) ... (...) ... (...) ...

Ora, poesia pra quem?
Poesia pra mim, pro mundo inteiro.
Poesia pra você.

Seja bem vindo

Um comentário:

Gláucia disse...

Poesia pra quê Sofia?
Pergunta sem resposta, desconfio.
Já que Sofia sem poesia
e uma realidade que, pra mim, Deus não permitiria.

Está tudo perfeito caríssima! Como lhe é de costume! Parabéns!